Olá! 😉

Provavelmente você já viu aqueles azulejos portugueses com decoração azul no fundo branco da faiança… Ou então lembra-se daquele típico vaso chinês de traços feitos por pincel na cor azul? Pois bem, essa decoração em azul ocorre porque foi empregado o elemento cobalto. Em japonês, esse pigmento tradicional à base de cobalto chama-se gosu.

Gosu é o nome do composto de cobalto com partículas de minério de ferro que é empregado em peças cerâmicas na técnica conhecida como some-tsuke. Ainda pode designar as peças feitas com esse composto. A origem desse nome é desconhecida.

Antigamente, não existiam os processos de purificação de elementos como os que existem hoje em dia. Isso significava que ao invés de os ceramistas utilizarem o elemento puro, eles empregavam o minério diretamente da jazida e o moíam para preparar o pigmento. Esse material muitas vezes continha além do cobalto, outros elementos, como manganês, ferro, etc. Apesar da existência dessas impurezas, o resultado final era muito satisfatório. Alguns críticos dizem que são superiores aos resultados do cobalto purificado industrialmente. O minério bruto tem uma cor azul esverdeada escurecido. É triturado até virar pó, umedecido com água, os desenhos são pintados com ele na cerâmica, depois é aplicado o esmalte e, quando queimado, apresenta uma coloração índigo, ou então é utilizado sobre esmaltes à base de ferro, apresentando cor azul.

use715017

Acima: Diversas colorações do pigmento conhecido por Gosu vendido no Japão. Em sentido horário, Cha-gosu (Gosu castanho), Kaiheki-gosu (azul cobalto),  Tetsusabi-gosu (Gosu ferrugem), Ao-gosu (Gosu azul), Kuro-gosu (Gosu preto) e Midori-gosu (Gosu-verde). Fonte: http://www.tougei.com/shop/g/g715017/

História

Compostos à base de cobalto têm sido usados por séculos para conferir uma cor azul rica à vidros, esmaltes e cerâmicas. Cobalto tem sido detectado em esculturas egípcias e joalheria persa desde o 3º milênio antes de Cristo, nas ruínas de Pompéia (destruída em 79 a.C.) e na China, datando desde a dinastia T’ang (618 – 907 a.C.) e a dinastia Ming (1368-1644 a.C.)

O pigmento azul usado nos sécs. XIV e XV era proveniente de minério de cobalto rico em óxido de ferro e outras impurezas como o níquel e cobre. A proporção típica entre cobalto e ferro é, aproximadamente, de 3:1. A técnica de decoração de cobalto de baixo-esmalte vem sido transmitida desde a China e Coreia para o Japão.

Os japoneses chamam este cobalto natural de “gosu” e vem usando ele para a decoração de baixo esmalte. Em 1510, um ceramista japonês, Gorodayu Shonzui, foi à China para estudar o processo de manufatura de porcelanas. Ele retornou após 5 anos e trouxe com ele argilas de porcelana e o gosu.

Hoje em dia, a maioria dos ceramistas compram o gosu sintético, mas não é difícil sua mistura. Quantidades variáveis de óxido de cobalto, óxido de ferro, dióxido de manganês, níquel e caulim podem ser misturados para formar um pigmento de qualidade e força variável.

Receita de Gosu

Aqui vai uma receita de pigmento ensinado por Simon Leach. Utilize após a aplicação do esmalte quando a peça estiver em biscoito.

Receita de Gosu:

Cobalto 25%
Óxido de Ferro 25%
Manganês 25%
Pó de Porcelana 25%

Hidrate tudo e misture bem. Passe por um coador número 100 e aplique com pincel.

Fontes:

  1. http://www.richardheeley.com/index.html/blue_%26_white.html
  2. https://kotobank.jp/word/%E5%91%89%E9%A0%88-64864
  3. http://www.umakato.jp/library/glossary/yougo02.html#ko
Anúncios